Para fazer Yoga basta o corpo e mente

A reportagem de Flávia Martinelli “Yoga na laje: mulheres do Capão Redondo mostram a prática sem gourmetização” nos chama atenção para algo muito importante e que fazem cair por terra todas as “desculpas” que possamos nos dar para evitar a prática. Elas driblam as dificuldades financeiras e o desafio da falta de tempo e fazem da prática seu ritual diário, como Flávia acertadamente aponta: “Tudo que nós precisamos para prática é a mente e o corpo.”

Essa ideia vai ao encontro do ensinamento do Iyengar: “Yoga é para todos.” Então não importa a limitação que possa ter, sempre será possível achar uma forma de praticar a técnica e ter seus benefícios respeitando esses limites e trabalhando com eles a seu favor.

Essas mulheres da periferia contam com a vontade e com a professora Sophia que viaja mais de uma hora de bicicleta até chegar na região para a aula. Levando sua boa-vontade, seu conhecimento, ela guia essas mulheres na prática do Yoga além de incentivar à melhoria na qualidade de vida dando aulas também de horta, alimentação orgânica entre outras coisas.

Sophia nos prova que podemos fazer a diferença e se mostra muito grata a elas:

Os feedbacks de mais disposição, mais autoestima, mais vontade de se olhar no espelho, de se cuidar, melhora na saúde e nas relações com a família são comuns para a Sophia. Mas ela, que também é bailarina, conta que o maior ganho do projeto é a relação com as alunas. “O Treino na Laje só existe por causa delas, do contrário nada disso aqui aconteceria. Fico feliz e agradecida por poder cuidar dessas mulheres e testemunhar tantas transformações.”(Flávia Martinelli)

Quer saber mais?

O que as pessoas disseram sobre isso:

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *